Universo Cultural

Filmes, livros, produções e eventos: divulgando e comentando cultura!!

Biografias cheias de Bossa: João Gilberto

Aproveitando a efeméride dos 50 anos da Bossa Nova, passo à publicar algumas biografias sobre alguns dos principais artistas desse estilo tão maravilhoso. Começamos, como não poderia deixar de ser, pelo João Gilberto. Espero que gostem! Abraços!
“Se você disser que eu desafino, amor / Saiba que isso em mim provoca imensa dor / Só privilegiados têm ouvido igual ao seu / Eu possuo apenas o que Deus me deu / Se você insiste em classificar / Meu comportamento de antimusical / Eu, mesmo mentindo, devo argumentar / Que isto é bossa nova, que isso é muito natural.” Esse é um trecho da letra de “Desafinado”, a canção que foi considerada o hino da bossa nova, de autoria de Tom Jobim e Newton Mendonça. Gravada por João Gilberto em 1958, “Desafinado” foi um sucesso imediato.

João Gilberto do Prado Pereira de Oliveira nasceu em Juazeiro, interior da Bahia, e residiu durante algum tempo em Salvador, onde trabalhou como crooner.

Em 1949, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde integrou o conjunto vocal “Garotos da Lua”, que fazia apresentações na rádio Tupi. João Gilberto também freqüentava a boate Plaza, reduto do cantor Johnny Alf. Demitido do grupo “Garotos da Lua”, por seus hábitos estranhos e seus atrasos freqüentes, João Gilberto passou um período difícil em meados dos anos 1950, sendo socorrido por amigos.

Em 1958, acompanhou Elisete Cardoso na gravação de um LP, que incluía a canção Chega de Saudade, considerada o marco inicial da bossa nova. A voz doce aliada à uma original batida rítmica chamaram a atenção do público.

João Gilberto gravou em seguida um disco 78 rotações com a mesma canção e depois um outro disco que incluía “Desafinado”. No ano seguinte, lançou seu primeiro LP (long play), chamado “Chega de Saudade”, com arranjos de Tom Jobim, que logo se tornou um grande sucesso.
Em curto espaço de tempo, João Gilberto gravou mais três LPs. A criteriosa escolha do repertório, com compositores como Tom Jobim e Dorival Caymmi, e a interpretação originalíssima das canções deram um destaque sem precedentes a João Gilberto. Logo adquiriu a reputação de genial criador de uma nova forma de compor.

No começo dos anos 1960, com a explosão mundial da bossa nova, João Gilberto transferiu-se para Nova York. Apresentou-se no Carnegie Hall, com grande repercussão, e realizou uma grande quantidade de shows nos Estados Unidos. Em 1964, a gravadora Verve lançou o disco “Stan Getz”, com participação de João Gilberto. O disco vendeu mais de um milhão de cópias e ganhou seis prêmios Grammy.

Nos Estados Unidos, João Gilberto gravou muitos discos, alguns lançados concomitantemente no Brasil. Gravou, entre outros, “João Gilberto”, “White Álbum” e “Amoroso”.

Residiu depois por dois anos no México, onde gravou “João Gilberto en Mexico”, um disco de boleros, lançado em 1971. Voltou ao Brasil em 1981, fixando-se no Rio de Janeiro. Fez amizade com grandes figuras da música popular brasileira, como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Chico Buarque. Gravou mais alguns álbuns no Brasil, como “João Gilberto Prado Pereira de Oliveira” e “Eu sei que vou te amar”. Em 2000, o compositor lançou o CD “João, Voz e Violão”.

Suas raras aparições públicas são disputadíssimas e sua vida pessoal continua cercada de mitos. João Gilberto ainda cultiva a mesma fama de perfeccionista, excêntrico, esquisito e genial.

Fonte: http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_516.html
(Fonte:
Anúncios

abril 4, 2008 Posted by | Bossa Nova, João Gilberto | Deixe um comentário