Universo Cultural

Filmes, livros, produções e eventos: divulgando e comentando cultura!!

Em defesa do SESC

Sou frequentador do SESC a exatos 29 anos, ou seja, desde que a Unidade de Piracicaba, cidade onde resido, foi aberta e hoje sou funcionário da instituição. Todo esse tempo de frequência me fez entender a importância que todo o sistema “S” (SESC, SESI, SENAI e SENAC), e o SESC em especial, tem nas cidades onde instalou suas unidades.

Além de importantes centros de lazer, as unidades do SESC têm um rol de atividades a preços acessíveis que permitem às pessoas do comércio, seus dependentes e demais usuários, terem acesso à cultura com preços imcomparáveis com o “mercado” . O SESC também transformou-se em uma “chancela” de qualidade de atividades nas áres do Teatro, Música, Cinema e outras.

Em uma visão equivocada do processo educacional, o governo federal enviou projeto de Lei que, se aprovado, reduzirá a 1/3 o repasse de verbas de repasse que sustentam as atividades do SESC e demais instituições do Sistema “S”, em nome de um “Fundo de Educação Técnica” , que reduz o aprendizado apenas à escolaridadeformal, sem considerar que a promoção da cultura é um dos meios mais eficientes para que a formação se complete.

Reproduzo abaixo a carta do diretor regional do SESC/SP, explicando a questão.Convido aos que quiserem e puderem que assinem a petição eletrônica no endereço http://www.sescsp.org.br no íncone “Apoio ao SESC”. Penhoradamente, agradeço!

Carta aberta ao público freqüentador do SESC

Queremos compartilhar com todos vocês o risco ao qual o SESC está exposto neste momento. O governo federal pretende enviar ao Congresso Nacional projeto de lei que retira pelo menos 33% dos recursos do SESC para a criação de mais um fundo de financiamento de programas de formação profissional. Diante desse risco, é nosso dever expor à sociedade brasileira o valor e a importância desta instituição criada, mantida e administrada com recursos privados, provenientes de contribuição compulsória das empresas do comércio de bens e serviços surgida nos anos 40 por proposta voluntária do empresariado.

Esta definição tem amparo na lei e na Constituição Brasileira (art. 240). O SESC promove a educação permanente por meio de suas ações culturais, socioambientais, esportivas, de promoção da saúde e da cidadania, das atividades de lazer e de sociabilização, voltadas prioritariamente às pessoas de menor renda. A melhor maneira de conferir o significado dessa ação é vivenciar o dia-a-dia.nos centros culturais e desportivos. Ouvir o relato dos freqüentadores sobre a importância do SESC em suas vidas e para suas famílias.

Utilizar os equipamentos e instalações de primeira qualidade, abertos a todos os estratos sociais, e participar das inúmeras atividades que abrangem um amplo arco de interesses e necessidades, reunindo um público extremamente diversificado. Acreditamos que todos vocês já tiveram essa oportunidade. São, portanto, testemunhas da natureza beneficamente eficaz, engajadamente eficiente e profundamente educativa do trabalho que o SESC desenvolve há 61 anos.

Esse patrimônio não pode ser sacrificado em favor de prioridades transitórias, em nome das quais se destruiria um trabalho consolidado em mais de seis décadas de atuação, causando um prejuízo incalculável ao desenvolvimento do país. A educação profissional é importante. Mas se dissociada de uma ação voltada ao desenvolvimento integral do indivíduo, torna-se meramente utilitarista, o que levaria a um evidente retrocesso, fruto de uma visão obscurantista e flagrantemente retrógrada.

Diante da gravidade dessa situação, que propõe a retirada de substanciais recursos dos programas socioeducativos do SESC, convidamos a todos para que se manifestem, pelos meios ao seu alcance, em prol da continuidade de nosso trabalho. Um projeto que, afinal, é uma conquista da sociedade brasileira.

Danilo Miranda, Diretor Regional do SESCSP
Anúncios

maio 28, 2008 Posted by | Manifesto | , | Deixe um comentário

Livro de Saramago não deveria ter sido adaptado, diz “Variety”

O longa-metragem “Ensaio sobre a Cegueira”, adaptado para o cinema pelo diretor brasileiro Fernando Meirelles, não deveria ter recebido uma versão cinematográfica, segundo crítica da revista americana especializada em entretenimento “Variety”.

A publicação americana foi a mesma que criticou duramente o filme “Tropa de Elite”, do brasileiro José Padilha. A crítica, assinada por Jay Weissberg, chegou a dizer que o filme tinha um estilo “Rambo” e comparou o Bope à SS, uma divisão repressiva do regime nazista.

Divulgação

Em seguida, a produção ganhou o Urso de Ouro em Berlim e Padilha se defendeu, disse que foi mal interpretado por críticos, rebateu especificamente as críticas da “Variety” e afirmou que o texto da revista americana foi “estúpido”.

O texto sobre “Ensaio sobre a Cegueira”, assinado por Justin Chang, começa com a história de que José Saramago, prêmio Nobel de Literatura, relutou em permitir que sua obra fosse adaptada para o cinema. “Meirelles provou que os instintos do escritor português estavam tristemente corretos”, emenda em seguida o autor da crítica após a explicação.

Chang também escreve que o filme diminuiu o impacto da trama de Saramago e que possui um excesso de tiques estilísticos.

O autor, um tanto repetitivo ao dizer que o longa-metragem enfraquece a história, destaca a atuação de Julianne Moore e alguns pontos do filme, como uma cena de violência sexual e a fotografia.

(Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u401932.shtml)

maio 26, 2008 Posted by | cinema | , | Deixe um comentário

Prêmio Escriba – Poesia, divulga regulamento

Continuam abertas as inscrições para o X Prêmio Escriba de Poesia. A Assessoria de Imprensa da Biblioteca Municipal de Piracicaba, divulgou o regulamento que segue a baixo. Contato pelo email bibliotecadepiracicaba@hotmail.com ou pelo fone (19) 3433-3674.

REGULAMENTO DO X PRÊMIO ESCRIBA DE POESIA – 2008

01 – O X PRÊMIO ESCRIBA DE POESIA (Lei nº 4375, de 18 de dezembro de 1997) é promovido pela Prefeitura do Município de Piracicaba, através da Secretaria Municipal da Ação Cultural, com objetivo de dar oportunidade de expressão e manifestação a todo segmento de público.

02 – As poesias serão inscritas mediante o cumprimento das seguintes exigências:

  1. Os concorrentes deverão ter idade mínima de 15 (quinze) anos;
  2. Os participantes deverão apresentar 03 (três) trabalhos originais, (não há necessidade de ineditismo) em português, de autoria própria, versando sobre temas gerais, digitados em papel A4 (sulfite), de um lado só, com fonte legível, 05 (cinco) vias, sem limites de páginas, versos ou estrofes;
  3. Cada poesia deve ter somente o título e o pseudônimo do autor;
  4. Em envelope anexo, lacrado, deverão vir os dados do autor: Nome completo, pseudônimo, idade, endereço completo, inclusive CEP, DDD, telefone, RG, CPF, profissão, grau de escolaridade, se caso possuir, um pequeno currículum literário, o título dos trabalhos inscritos. E um disquete com os trabalhos. Por fora apenas o pseudônimo usado e o título dos trabalhos inscritos; bem como tomou conhecimento do PRÊMIO ESCRIBA DE POESIA;
  5. Os trabalhos pornográficos e eróticos serão sumariamente excluídos;
  6. As inscrições estarão abertas a partir de 22 de abril de 2008 até 20 de junho de 2008, na BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL DE PIRACICABA, RUA DO ROSÁRIO, 833, CEP 13400-183, CENTRO – PIRACICABA, SP, TEL e FAX. 0xx19 3433 3674, 3434 9032 e 3432 9099;

03 – Os concorrentes de outras localidades poderão fazer a inscrição pelo correio, valendo a data do carimbo postal como prazo final de inscrição;

04 – A Secretaria Municipal da Ação Cultural, indicará um júri constituído de 05 (cinco) elementos de reconhecida capacidade intelectual, atuante no ramo, que procederá a seleção dos trabalhos inscritos, classificando as 30 (trinta) melhores poesias. Os trabalhos não classificados serão incinerados após a seleção e premiação;

05 – As 30 (trinta) poesias selecionadas serão reunidas em Antologia, que será editada pela Secretaria Municipal da Ação Cultural e oferecida aos participantes e entidades culturais sem custos adicionais;

06 – Aos classificados não será paga nenhuma taxa monetária a título de direitos autorais;

07 – A Secretaria Municipal da Ação Cultural se reserva o direito de veicular a Antologia da maneira que melhor lhe aprouver, sem fins lucrativos;

08 – Em cerimônia previamente marcada serão conferidos: Troféu Escriba (escultura em bronze de Arayr Ferrari), para os 03 (três) primeiros classificados e prêmios em dinheiro no valor de: 1º Classificado: R$ 1.033,04; 2º Classificado: R$ 839,35; 3º Classificado: R$645,65; 4º ao 10º Classificados: Menção Honrosa; e mais 20 Selecionados que farão parte da Antologia. Todos os classificados receberão Diplomas e 10 exemplares da antologia;

09 – O julgamento será realizado até o mês de setembro de 2008;

10 – Os concorrentes serão notificados do resultado pelo correio ou por e-mail, e por divulgação na Imprensa a partir da segunda quinzena de outubro;

11 – O simples envio das poesias implica na aceitação direta deste regulamento;

12 – Os trabalhos remetidos em desacordo com este Regulamento (falta de dados precisos, ou de difícil identificação, menor número de cópias, falta do disquete, etc) serão automaticamente desclassificados;

13 – A decisão do júri é irrecorrível e não caberão recursos;

14 – Os casos omissos neste regulamento serão resolvidos pela Comissão Julgadora e pela Coordenadoria Geral do X Prêmio Escriba de Poesia.

maio 26, 2008 Posted by | Literatura | , , | Deixe um comentário

Velhas Guardas – Os Encontros


O documentário Velhas Guardas – Os Encontros, de Joatan Vilela Berbel aporta este mês na cidade luz para participar da 10ª edição do Festival de Cinema de Paris. Na trilha do filme O mistério do samba, dirigido por Carolina Jabor e Lula Buarque de Hollanda, exibido em Cannes, o documentário de Joatan levará para Paris momentos únicos de quem faz com paixão e fé o famoso carnaval do mundo.
De uma forma jamais mostrada, o documentário leva com delicadeza ao grande público os encontros, as confraternizações, a religiosidade e um emocionante show que reúne no mesmo local bambas do samba de tradiocionais escolas de samba do Rio como Mangueira, Salgueiro, Portela, Império Serrano e Vila Isabel.
Velhas Guardas – Os Encontros é um filme gravado em video digital, editado em hd digital com som mixado em dolby stereo 5.1 conta com as participações de ícones do samba carioca como Dona Ivone Lara, Nelson Sargento, Monarco, Baianinho, Zuzuca e Alvinho da Mangueira, este último narrador do documentário aprovado pela turma do samba como, por exemplo, o jornalista Ricardo Cravo Albin.

O diretor

Joatan Vilela Berbel foi Presidente da Associação Brasileira de Documentaristas nos anos 80, realizou diversos documentários tendo como destaque o curta Eunice, Clarice, Tereza sobre as três viúvas de presos políticos assassinados nos porões da ditadura militar – Rubem Paiva, Vladimir Herzog e Manuel Fiel Filho. Realizou documentários sobre a questão agrária no Brasil com a participação de Antonio Calado e um curta metragem sobre o caricaturista Chico Caruso, em 1984

(Juliana Aquino)

Uma pequena mostra do documentário pode ser encontrada no You Tube, nesse link:
http://www.youtube.com/watch?v=KXMKQQQa_m0

maio 26, 2008 Posted by | cinema | , | 1 Comentário

Palma de Ouro vai para ‘prata da casa’ em Cannes

THIAGO STIVALETTI

Colaboração para o UOL, de Cannes

Após 21 anos sem receber a sua maior honraria cinematográfica, a França venceu em casa e foi a grande premiada do 61º Festival de Cannes. “Entre les Murs” (Entre as Paredes), de Laurent Cantet, apontado como favorito por UOL Cinema, recebeu a Palma de Ouro neste domingo, na cerimônia de encerramento do festival. O último francês que tinha conseguido a façanha foi “Sob o Sol de Satã”, de Maurice Pialat, em 1987.

AFP/ Anne-Christine Poujoulat

Laurent Cantet à frente do elenco de “Entre les Murs”, vencedor da Palma de Ouro

Ao entregar o prêmio para o diretor francês, Rober De Niro declarou: “Em 1976, estive aqui com um pequeno filme que acabou levando a Palma de Ouro, ‘Taxi Driver’, que concorreu com outras grandes obras como ‘O Inquilino’, de Roman Polanski, e ‘A Marquesa de O’, de Eric Rohmer. Acredito que o júri de Sean Penn tenha tido a mesma dificuldade para escolher os premiados entre filmes tão bons”.

O júri seguiu as indicações de Sean Penn, o presidente, na coletiva de imprensa inicial de que os prêmios contemplariam filmes políticos. “Entre as Paredes” retrata o dia-a-dia de um professor de cólegio que lida com alunos das mais diversas origens e etnias, em meio a problemas como a ameaça de expulsão da França vivida pelos imigrantes.

Antes da premiação, Penn anunciou que a Palma de Ouro, o mais importante prêmio do festival, e o vencedor do prêmio de melhor ator (Benicio Del Toro, por “Che”, de Steve Soderbergh) foram as únicas unanimidades entre os prêmios concedidos pelo júri.

Del Toro dedicou seus agradecimentos pela conquista a Soderbergh: “por ter me ajudado todos os dias a encontrar energia para o personagem”, declarou.

A Itália também foi agraciada pelo festival. Os dois filmes que concorriam pelo país saíram premiados. “Gomororra”, de Matteo Garrone, recebeu o Grande Prêmio do Júri (segundo mais relevante) e o político “Il Divo”, filme sobre ex-primeiro-ministro Giulio Andreotti de Paolo Sorrentino, ficou com o Prêmio do Júri (distinto do anterior).

Elogiado ao longo do festival, “Os Três Macacos” proporcionou ao cineasta turco Nuri Bilge Ceylan o prêmio de direção. “O Silêncio de Lorna”, dos irmãos belgas Dardenne, levou o prêmio de roteiro.

Foram entregues ainda dois prêmios honorários pela conjunto da obra: à atriz francesa Catherine Deneuve – do elenco do concorrente “Um Conto de Noel”, de Arnaud Desplechin – e ao diretor americano Clint Eastwood, que concorreu à Palma de Ouro com “The Exchange” (A Troca). A ausência mais sentida entre os premiados foi a animação israelense “Valsa com Bashir”, bastante aplaudido em suas sessões.

Brasil Premiado

É bem verdade que “Linha de Passe”, que aparecia com boas cotações entre os críticos, era cogitado para sair de Cannes com alguma premiação, como de roteiro. Mas o prêmio de melhor atriz para Sandra Corveloni foi uma completa surpresa para os diretores brasileiros Walter Salles e Daniela Thomas, que receberam o prêmio em nome da intérprete, que não acompanhou o elenco do filme por causa de problemas pessoais.

Em francês, Walter Salles agradeceu: “Estou orgulhoso de fazer parte de uma profissão na qual possa colocar toda minha nação em uma tela”.

Daniela Thomas fez uma reverência diretamente à atriz em sua declaração em português: “Querida, você não pôde vir com a gente a Cannes, mas seu espírito sempre esteve conosco”. E completou, em inglês, para toda a platéia, que o prêmio vem em boa hora para a vida da atriz que sofreu recentemente o duro golpe da perda do bebê que esperava, e por isso não participou do evento.

Depois de “A Festa da Menina Morta” não vencer nenhum prêmio na disputa da seleção da mostra “Um Certo Olhar”, Matheus Nachtergaele perdeu sua última chance de sair premiado em Cannes. O “Câmera de Ouro”, estímulo dado novos cineastas, foi para “Hunger” (Reino Unido), de Steve McQueen, que concorria com outros 21 filmes de estréia na direção em todas as mostras do festival.

(Fonte:http://cinema.uol.com.br/cannes/ultnot/2008/05/25/ult5900u41.jhtm)

maio 25, 2008 Posted by | Sem-categoria | , | Deixe um comentário

Zélia Gattai morre aos 91 anos

A escritora Zélia Gattai Amado morreu aos 91 anos às 16h30 deste sábado em Salvador, segundo informações do Hospital da Bahia, onde ela estava internada desde o dia 16 de abril.

A escritora se recuperava de uma cirurgia no intestino e, após um período de melhora progressiva, seu quadro se deteriorou rapidamente nos últimos dias.

Desde o ano passado Gattai passou por diversos períodos de internação. A escritora completaria 92 anos no dia 2 de julho deste ano.

Tuca Vieira/Folha Imagem
Escritora Zélia Gattai nasceu em 2 de julho de 1916 em São Paulo e morreu aos 91 anos
Escritora Zélia Gattai nasceu em 2 de julho de 1916 em São Paulo e morreu aos 91 anos

Descrita pela revista “Forbes” como uma das mulheres mais influentes na área cultural no Brasil em 2006, Gattai perdeu o marido Jorge Amado em agosto de 2001.

Os dois se conheceram em 1945, quando trabalharam juntos no movimento pela anistia dos presos políticos. Durante anos, Zélia datilografou os textos originais do marido.

Filha de imigrantes italianos, a escritora nasceu em 2 de julho de 1916, na capital de São Paulo, onde viveu toda a sua infância e adolescência.

Aos 63 anos de idade, começou a escrever suas memórias. O livro de estréia, “Anarquistas, Graças a Deus”, já acumulava mais de 200 mil exemplares vendidos no Brasil ao completar 20 anos de sua primeira edição.

Os pais da escritora eram os imigrantes italianos Angelina e Ernesto Gattai e sua infância em São Paulo a inspirou em “Anarquistas, Graças a Deus”.

A escritora tomou posse da cadeira nº 23 da ABL (Academia Brasileira de Letras) em maio de 2002, lembrando a trajetória pessoal e profissional do marido. Zélia foi eleita para ocupar a cadeira de Jorge Amado na ABL, que também já tinha sido ocupada por Machado de Assis (1839-1908).

Em seu discurso de posse, que durou uma hora, Zélia falou de sua infância, das obras de Jorge e da amizade do marido com o político baiano Antônio Carlos Magalhães (1927-2007).

Gattai deixa três filhos sendo dois com Amado, Paloma e João Jorge Amado, além de netos. O outro filho Luis Carlos, é fruto do casamento de oito anos com o militante comunista Aldo Veiga.

maio 18, 2008 Posted by | Obituário | | 1 Comentário

Em Cannes, Rodrigo Santoro defende o cinema brasileiro

Flávia Guerra, enviada especial a Cannes

'Leonera'

Santoro lança seu novo filme: ‘Leonera’

CANNES, França – “Estou muito feliz de estar aqui com dois filmes. É um momento muito especial para o cinema brasileiro e latino-americano. E saiba você que o cinema brasileiro não é todo feito para ser globalizado e internacional. Ha muitos filmes que não são feitos pensando no mercado. Um deles, que recomendo a você, é A Festa da Menina Morta, de um grande ator chamado Matheus Nachtergaele. Ele concorre aqui e passa no dia 21 na sessão do Certain Regard. Não perca”, disse Rodrigo Santoro nesta quinta-feira, 15, em Cannes.

O ator respondia a um jornalista que, na coletiva de imprensa de seu mais novo filme, Leonera (do argentino Pablo Trapero, diretor de filmes como de Familia Rodante, que concorre a Palma de Ouro), comentou: “Parabéns ao cinema argentino. Diferentemente do cinema mexicano e brasileiro, ainda consegue fazer bons filmes locais e não se render “à internacionalização”.

Em Leonera, Rodrigo faz o papel de Ramiro, um rapaz apaixonado por Julia (Martina Gusman) que, por amor, acaba cometendo um crime. Ramiro e Julia vão para a prisão. E Julia acaba dando a luz a um menino. “Foi uma preparação interessante. Porque tenho poucas, mas significativas, cenas no filme. Estabelecer a relação entre Ramiro, Julia e um filho menino que nasce em uma prisão em tao pouco tempo na tela foi um desafio muito bom”, comentou o ator.

Como explicou Rodrigo, é sobre os primeiros anos de vida do filho que Julia tem na prisão, e de como criar uma criança no ambiente hostil de uma cadeia, que Leonera fala com delicadeza e sem apelar para a pieguice. “Depois que eu tive meu filho, passei a prestar mais atenção a este universo. E quis também falar desta relação, esta ligação única, que só as mulheres têm. A relação entre pai e filho é muito diferente da entre mãe e filho”, declarou o diretor argentino, um dos nove realizadores do país que estão exibindo seus filmes em Cannes. “Fico também muito feliz com a boa fase do cinema argentino, latino-americano, e também do brasileiro. É importante ter esta janela para o mundo.”

Rodrigo, que também vive Raul (o irmão de Fidel Castro) em Che, super produção de Steven Soderbergh (que será exibido no dia 21), contou que ainda não viu este novo filme, mas que está ansioso. “Ouvi coisas ótimas a respeito. Mas Steven ainda não mostrou para a gente. Vou ver com todos, na sessão para o público”, contou o ator, que na quarta-feira à noite prestigiou a festa de Blindness, de Fernando Meirelles.

Após a sessão de gala, que rendeu mais de cinco minutos de aplauso ao filme de abertura do festival, Meirelles e equipe jantaram no Hotel Carlton e receberam os convidados em uma festa na praia. O espaço da Plage do Carlton contou com a presença de Julianne Moore, Alice Braga, Danny Glover, Gael Garcia Bernal e outros. E o filme saiu com gosto de, como observou o jornalista chileno, “cozinha internacional”, mas de altíssima qualidade.

(Fonte: http://www.estadao.com.br/arteelazer/not_art173094,0.htm)

maio 15, 2008 Posted by | cinema | , , , , | Deixe um comentário

Projeto “SESI Música – 2008 – Série Música Brasileira” tem show em Piracicaba dia 30/05

Acontece dia 30/05 mais um espetáculo do Projeto “SESI Música – 2008 – Série Música Brasileira”. Esse projeto que acontece em sua primeira edição, pretende apresentar ao público de 12 ciades do Estado de São Paulo toda a pluralidade e riqueza da música do Brasil, numa série que abarca das raízes às tendências contemporâneas do vasto universo musical brasileiro.
Com essa proposta, a Unidade do SESI – Piracicaba (R. Luiz Ralph Benatti, 600 – Fone (19) 3421-2884) traz no próximo dia 30/05 a PERSEPTOM BANDA VOCAL às 20 horas, com entrada gratuita.

Dia 30/05 no SESI-Piracicaba

PERSEPTOM BANDA VOCAL

De excepcional qualidade, dos melhores do mundo segundo a americana CASE – Contemporary A Capella Society of America, o grupo é composto por apenas sete vozes, que, juntas, têm a sonoridade de uma banda inteira. Por meio da voz, com a técnica que do beat box e da percussão vocal, os músicos reproduzem a bateria, o pandeiro e os chocalhos além de todo o preenchimento harmônico.

O vasto repertório vai de Alceu Valença a Chico César, passando por Adoniram Barbosa, Tim Maia, Dorival Caymmi e Djavan, entre outros, além de uma música inédita, de autoria de Anibal Macário
MÚSICOS:

Eloíza Paixão – contralto e aplicação fonética
Estela Paixão – contralto, percussão vocal
Cristiano Alberto – barítono alto, percussão vocal
Aníbal Macário – barítono, estudo harmônico
Valter Macário – baixo e arranjos
Diego de Jesus -percussão vocal e baixo
Du Machado – primeiro tenor

Vale a pena anotar desde já na agenda e aproveitar esse excelente programa!

(Fonte: SESI – Piracicaba )

maio 15, 2008 Posted by | Música, SESI - Piracicaba, Shows | , , | Deixe um comentário

Lázaro Oliveira assina paralela

Emprestando seu nome a um dos novos prêmios da 20ª edição da Mostra Almeida Jr. (Prêmio Lázaro de Oliveira), o escultor Lázaro de Oliveira, 76, é o responsável pelas obras da mostra paralela, que será aberta na terça-feira, 13, às 10h, na sala Da Vinci, no Centro Cultural Martha Watts. Intitulada “Exposição Lázaro de Oliveira”, a mostra conta com 15 esculturas e pode ser vista no espaço até o dia 30 de maio. A entrada é gratuita.
O artista, que iniciou suas atividades aos 63 anos de idade, irá expor as criações da época em que começou a esculpir, em 1996. Um dos destaques é sua primeira escultura, “Índia”. Confeccionada a partir de um tronco de árvore de ipê encontrado na casa de seu filho, o também artista Lázaro de Oliveira Júnior, o Lajur, a obra de 74 centímetos, apresenta a figura de uma índia ajoelhada, segurando uma tartaruga nas mãos.
As obras de Oliveira são resultado do trabalho detalhado na madeira, especificamente o ipê-roxo, e na pedra-sabão. Ele trabalha com ferramentas de fabricação própria, nas quais procura aliar o efeito conseguido com o ideal a ser atingido.

(Fonte:http://www.jornaldepiracicaba.com.br/)

maio 12, 2008 Posted by | Sem-categoria | Deixe um comentário

Brasileiros pelo olhar de Virgínia Welch

Radicada em Piracicaba há 28 anos, a artista plástica Virgínia Welch – nascida em Washington e criada na Inglaterra – tem como objeto do olhar a figura humana. E é o indivíduo o principal elemento da obra da artista na exposição “Brasileiros – Retratos da Minha Percepção”, que abre hoje, às 19h30, no Centro Cultural Martha Watts, e reúne mais de 30 telas em guache sobre papel. A entrada é gratuita.
“Procurei colocar em cada obra o meu olhar. Não é um olhar de turista, ou de antropóloga, mas de alguém que mora no país e optou por valorizar a sua gente”, explica Virgínia. “Em ‘Ajustes’ – obra em preto e branco – optei por desenhar uma passista de Carnaval. Ela está recebendo os ajustes em seu figurino pelas mãos de uma aderecista. Preferi a figura humana em detrimento do movimento. Eu poderia ter feito o desenho dela dançando, mas optei pela forma”.
A exposição estará dividida em três espaços no centro cultural. No primeiro – no hall de entrada – ela irá expor obras inspiradas na música erudita, feitas após assistir a concertos de orquestras em São Paulo. Um exemplo é “Cordas” (2008), que foi esboçada durante uma ópera de Puccini. “Primeiro eu faço um croqui pequeno em um caderninho e depois passo para a tela”, descreve a artista que em 2005 expôs na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra. “O que produzi de lá para cá estará nesta mostra. São trabalhos inéditos, que reúnem imaginação, memória e realidade”.
Na sala Monet estão os quadros sobre o universo popular, com criações inspiradas em atividades braçais. Na sala multimídia estão trabalhos em desenho com pincel e monocromáticos. “Eu também pintei o cortador de cana na obra ‘Sombra’. Moro em Piracicaba e não poderia deixá-lo de fora”, aponta a artista que também revelou seu olhar em temas como as festas juninas, o rodeio, banhistas, festas populares, e outras.

RELEVÂNCIA – Segundo o crítico de arte Fernando Furquim, em “Brasileiros – Retratos da Minha Percepção”, Virgínia entra fortemente por duas linhas, a da música e da cana. “Acho que ela está percebendo cada vez mais o seu entorno, aguçando sua percepção de Brasil”, fala Furquim. “Virgínia está com uma maneira de pintar extremamente própria, que revela novas formas e cores. Uma das maiores funções do artista é estar sempre atento a seu tempo e retratá-lo. Virgínia faz isso.”
Virgínia, que estudou na Ecole Cantonale d’Art de Lausanne (Ecal), na Suíça, trabalha com as mais variadas técnicas, como desenho, pintura, escultura (argila e bronze), gravura e mosaico. A artista desenha e pinta desde criança e já realizou exposições individuais e coletivas no exterior, em países como Inglaterra, França e Polônia.

maio 12, 2008 Posted by | Exposições | , , | Deixe um comentário